ANUNCIE AQUI!
21/02/2018

Advogado fica pelado na porta do Fórum por causa de revista com detector de metal

detector-de-metal-seguranca

A OAB de Tupã não tem competência para questionar portaria do TJSP. Normas foram criadas após incidentes que vitimaram juízes. O Conselho Nacional de Justiça (CNJ) ratificou a decisão.  O advogado Paulo Brito já esbravejou na portaria do Fórum de Tupã, e tirou até as roupas durante a “exigente” revista a que teria sido submetido. O fato aconteceu há quinze dias, mas ainda hoje o clima entre o profissional e os seguranças na recepção do Fórum é de apreensão. Após 28 anos de atuação como advogado, ele garante que não vai se submeter ao que considera "vexame". O advogado é contrário ao fato de que a revista rigorosa é apenas para alguns e não para todos – constrangendo advogados e advogadas. "Eu passei pela revista e ao detector de metais que não apitou, e mesmo assim os seguranças insistiram na revista para verificação de algum metal". Inconformado com o fato tirou as roupas e ficou apenas de cueca na recepção do prédio do Fórum em protesto contra o excesso de rigor. “Eu fiquei de sunga, e não vou obedecer essa determinação injusta. Esse tratamento é discrepante”, acrescentou. Em entrevista ao blog na manhã desta quarta-feira (21), o advogado disse que a medida vem sendo adotada em relação a ele por mero capricho dos seguranças, e em ...

Continue lendo esta notícia
Postado por: jota Categorias: Justiça
21/02/2018

“CASO FRIGO ESTRELA”: Tribunal do júri reduziu pena de acusado de homicídio

Martelo Tribunal

Fabrício Hernandes de Araújo poderia responder de 12 a 30 anos, mas tese de defesa a fez diminuir para apenas 5 anos de reclusão em regime semiaberto. O acusado vai recorrer em liberdade. O resultado da sentença do julgamento destacou a “provocação injusta da vítima Antônio Carlos Costa Silva”. As provas nos autos apontavam para provocações constantes que culminaram com o homicídio na manhã do dia 23 de julho de 2016. Naquele mesmo dia, o blog havia apurado e manchetado “Bullying e ameaça terminaram em homicídio no Frigo Estrela”. Foi exatamente esta a tese de defesa dos criminalistas Ademar Pinheiro Sanches, Viviane Macedo e Lais Macorin. “Foi feita a prova de violenta emoção, que reduz também a pena. Portanto, excluímos as qualificadoras e provamos que Fabrício praticou o crime tomado por violenta emoção”, disse Pinheiro. O Tribunal do Júri entendeu a tese de violenta emoção e as qualificadoras foram excluídas, entendendo que o acusado foi autor de homicídio simples privilegiado. “Já havia um desentendimento entre Fabrício e Antônio Carlos, onde um ameaçava o outro, além do que não ficou provado de que a vítima foi surpreendida durante o ataque por que momentos antes de o fato acontecer, já havia ocorrido discussão entre ambos”, destacou o advogado. São justamente as qualificadoras que poderiam levar o réu a ...

Continue lendo esta notícia
Postado por: jota Categorias: JustiçaPolícia
13/02/2018

Instabilidade: Vereador vai representar Evandro Gussi ao Ministério Público

Outdoor instalado na saída de Tupã cobra de Gussi voto contra a reforma da previdência

O parlamentar federal vive inferno astral após evitar por duas vezes que o presidente Temer fosse investigado por corrupção. “Justamente por isso quero, de minha parte, continuar a oferecer o que tenho: um imenso amor pelo Brasil, por sua história e por seu povo”, disse Gussi em resposta as denúncias.                         Se os votos favoráveis ao presidente Michel Temer (PMDB) foram em nome de uma suposta estabilidade econômica e política do país, quem parece se sentir numa carruagem com vidraças laterais, é o próprio deputado federal Evandro Herrera Bertone Gussi (PV). Gussi está literalmente na berlinda e sofre ataques a partir de seu núcleo de oração e eleitoral, mas está longe de ser o bobo da corte ou o bode expiatório. Às vésperas das eleições, uma avalanche de denúncias a partir de suas próprias ações tem desestabilizado a “estrutura familiar” do nobre representante da Alta Paulista. Ao lado de seu criador – deputado estadual Reinaldo de Souza Alguz (PV), Gussi é apontado como integrante de uma “conexão verde” engendrada para abastecer um possível esquema de “caixa de campanha, a partir dos cofres públicos”, acusa o vereador tupãense Paulo Henrique Andrade (PPS). É sustentando essa tese que o edil confirmou domingo (11) que deverá fazer nesta quarta-feira, dia 14, uma representação ao Ministério Público Estadual ...

Continue lendo esta notícia
Postado por: jota Categorias: JustiçaPolítica
09/02/2018

CAIXA DE CAMPANHA: Sobre a resposta do Evandro Gussi

PAULO HENRIQUE

Sobre a resposta de Evandro Gussi, o vereador Paulo Henrique Andrade (PPS), ratificou seu raciocínio ao afirmar que "na política, mentirosos e falsos profetas usurpam do poder público para fazer caixa de campanha". Segundo Paulo Henrique Andrade, o nobre deputado afirma que “Pessoas sem cautela e desprovidas de zelo com a verdade passaram a insinuar que haveria alguma ofensa ética no fato de, por um determinado período De fato, as contratações foram públicas e seguiram rigorosamente a lei. Obviamente, ambos cumpriram o que lhes fora proposto para a função”. "Ora nobre deputado, o mais engraçado de tudo, é que você sempre pregou que não gastava dinheiro em suas campanhas, que faria uma política nova e diferente. Olhando os dados, a esposa do deputado foi assessora nos períodos em que o deputado, que na época também era assessor, se ausentava para fazer campanha. Ou seja, para não perder o salário, nomeava sua mulher para lhe substituir. Isso está cheio na política, mentirosos e falsos profetas, que usurpam do poder público para fazer caixa de campanha. Onde está a moralidade? Será que se não fosse esposa dele, outra pessoa com formação em farmácia, seria contratada? Isso nos mostra o quão moral são os deputados Evandro e Reinaldo. Aqui na prefeitura não está diferente". A RESPOSTA Fonte: Ocnet TUPÃ ...

Continue lendo esta notícia
Postado por: jota Categorias: Política
07/02/2018

CONEXÃO VERDE: Pai de Gussi também aparece na folha de pagamento da ALESP

O advogado José Reinaldo Gussi, pai de Evandro Gussi era outros beneficiado

Depois da esposa, agora outro integrante da árvore genealógica do deputado federal Evandro Gussi aparece como funcionário do deputado estadual Reinaldo Alguz. Juntos, pai, filho e nora podem ter custado aos cofres do estado até R$ 3 milhões. O modus operandi é o mesmo. De primeiro de julho de 2010 a 19 de dezembro de 2014, o advogado José Reinaldo Gussi apareceu na folha de pagamento da ALESP – Assembleia Legislativa do Estado de São Paulo. Ele também faz parte da executiva do PV em Dracena. Lotado no gabinete do deputado estadual Reinaldo Alguz (PV) ocupou o mesmo cargo do filho Evandro Gussi e da nora Joice Raquel Ubeda Hadda Gussi. Ora, como assessor especial parlamentar e ou assessor técnico parlamentar. Todos salários que ultrapassam a casa dos R$ 12 mil. A descoberta surgiu durante investigação do blog iniciada há pelo menos 10 dias, para confirmar os dados “vazados” possivelmente pelos próprios integrantes do PV – Partido Verde, ala contrária a ação “paroquial” que originou na silenciosa eleição de dois parlamentares oriundos da Alta Paulista – Reinaldo Alguz e Evandro Gussi. Natural de Tupã, mas residente em Dracena, Alguz carregou o prudentino Gussi, morador em Tupã por todo o estado de São Paulo. A dobradinha/sociedade resultou em 122.900 votos e 109.591, respectivamente para a ...

Continue lendo esta notícia
Postado por: jota Categorias: Política